É de suma importância o acompanhamento do processo de registro marcário, bem como de patentes, por uma empresa especializada e credenciada, como agentes da propriedade industrial, devidamente inscritos perante o INPI, ou advogado devidamente inscrito na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Em todo o País, e especificamente nas cidades do interior de São Paulo, diversos falsos “agentes da propriedade industrial”   sem qualquer qualificação técnica, vêm aplicando verdadeiros golpes em relação ao registro, quer seja de marca ou patente.

Portanto, é necessária muita atenção ao contratar uma empresa ou agente da propriedade industrial para não se tornar mais uma vítima dos falsos “agentes” espalhados no mercado.

 

Intensificar a aproximação com o Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI, com o Judiciário e também com associações do setor privado, como CNI, Firjan, entre outras, para compor uma agenda prioritária de aperfeiçoamento do sistema de Propriedade Intelectual no País foram as metas apresentadas, ontem, pelo advogado Luiz Edgard Montaury Pimenta, durante a cerimônia de posse da nova diretoria da Associação Brasileira da Propriedade Intelectual – ABPI , no Country Club do Rio de Janeiro. Montaury Pimenta, presidente eleito para o biênio 2018-2019, enfatizou, ainda, que atuará no sentido de trazer mais visibilidade para a ABPI junto às mídias. “Precisamos tornar a entidade mais conhecida e com mais ressonância na sociedade”, disse.

Na cerimônia de posse, que contou com a ilustre presença do Dr. Eduardo Brandão Brito Fernandez, juiz da 25ª Vara Federal do Rio de Janeiro, além de outras autoridades do Judiciário, membros da diretoria do INPI, representantes de empresas e de escritórios de Propriedade Intelectual, o novo presidente da ABPI esclareceu que na sua gestão dará relevância à especialização do judiciário em matéria de Propriedade Intelectual. “No Judiciário Federal a especialização em Propriedade Intelectual deu certo e é um caminho sem volta, e agora a expectativa é que aconteça o mesmo no Judiciário Estadual, o que deve sem dúvida ocorrer”, acrescentou o juiz Brito Fernandez.

A questão da eficiência do INPI foi incluída em várias das metas apresentadas pelo novo presidente da ABPI, seja ao defender a autonomia financeira da autarquia, seja ao enfatizar a redução do backlog, o estoque de marcas e patentes pendentes para exame pelo órgão. Montaury Pimenta anunciou ainda a introdução, no próximo Congresso anual da ABPI, de um painel específico “reunindo os INPIs latino-americanos para um intercâmbio de informações”. O diretor-executivo do INPI, Mauro Sodré Maia, que representou o presidente da autarquia, Luiz Otávio Pimentel, assinalou que a todos interessava “Um INPI mais forte, capaz de dar respostas eficazes às demandas do sistema de PI”.

Durante o evento, tomou posse também a nova diretoria da Associação Brasileira dos Agentes da Propriedade Industrial – ABAPI, com Ricardo Pinho, presidente reeleito para o biênio 2018-2019.

Nova diretoria da ABPI para o biênio 2018-2019

Comitê Executivo

Presidente – Luiz Edgard Montaury Pimenta
1º Vice-Presidente – Gabriel Leonardos
2º Vice-Presidente – Peter Eduardo Siemsen
Diretor-Procurador – Rodrigo A. de Ouro Preto Santos
Diretor-Secretário – Valdir de Oliveira Rocha Filho
Diretor-Editor – Márcio Merkl
Diretor-Relator – Benny Spiewak
Diretor-Tesoureiro – Tatiana Campello Lopes
Representante Seccional BA – Carlos Ricci
Representante Seccional DF – Alexandre Muller Buarque Viveiros
Representante Seccional MG – Sâmia Batista Amin
Representante Seccional PR – Maria Inez Araujo de Abreu
Representante Seccional PE – Gustavo Henrique Eirado de Escobar
Representante Seccional RS – Roner Guerra Fabris
Representante Seccional SP – Fabio Luiz Barboza Pereira
Representante Seccional MT – Geraldo da Cunha Macedo

Conselho Diretor

Alberto Guerra
Andrea Gomes
André Luiz Bretanha Jorge
Antonella Carminatti
Antônio de Figueiredo Murta Filho
Antônio Ferro Ricci
Antônio Carlos Siqueira da Silva
Celino Bento de Sousa
Cláudio Lins de Vasconcelos
Douglas de Almeida Reis
Elizabeth Siemsen do Amaral
Eneida Elias Berbare
Felipe Fonteles Cabral
Hélio Fabri Jr.
Jacques Labrunie
Luis Fernando R. Matos Jr.
Marcos Chucralla Moherdaui Blasi
Maria Cristina Cortez
Mário Augusto Soerensen Garcia
Paulo Parente Marques Mendes
Philippe Bhering
Rafael Lacaz Amaral
Rana Gosain
Ricardo Cardoso Costa Boclin
Ricardo Fonseca de Pinho
Rodrigo Azevedo Pereira
Rodrigo S. Bonan de Aguiar

De 19 a 23 de maio 2018

Mais de 7.000 escritórios do mundo todo, estarão neste encontro que definirá os rumos das matérias para 2018 e a vai medirá a temperatura e o humor do mercado.

Pelo décimo anos consecutivo a Beérre representa os interesses de seus clientes, buscando estar atualizada com as matérias e com o dever de casa : -Representar o Brasil

Os ativos de propriedade intelectual constituem, atualmente, um grande conjunto de bens para empresas, agregando valor à marca, exclusividade aos produtos e vantagens no mercado, além de proporcionar enorme rentabilidade econômica.

Mas o que são Ativos Intangíveis?

Ativos intangíveis são recursos incorpóreos controlados por uma empresa com capacidade de produzir benefícios futuros.

Por exemplo: A capacidade de uma marca alavancar vendas de um novo produto demonstra o uso de um ativo intangível na geração de benefícios.

Estima-se que atualmente os Ativos Intangíveis (AIs) constituam significativa parcela do capital de uma organização, muitas vezes em níveis muito superiores aos elementos tangíveis.

Marcas famosas, tais como Coca-Cola, Microsoft ou Nike, agregam muito mais valor pelo que representam ao mercado, em função de sua marca, do que o somatório de seus ativos fixos.

Compreendem-se como ativos intangíveis não só a marca, mas também: Carta Patente de Invenções, Desenhos Industrias, produtos licenciados, Softwares registrados, Direitos Intelectuais e afins.

Desta forma, concluímos que os Ativos Intangíveis são as raízes que sustentam uma companhia, sendo eles, portanto, os responsáveis pela sobrevivência de uma empresa em longo prazo.

Quer saber como podemos fazer isso em sua empresa?

Entre em contato!

Abridor de sachê – Patente MU 8800326-4 / Ano 2017

A finalidade dessa patente é possibilitar uma maneira rápida, higiênica e prática de abrir os sachês de mostarda, maionese, vinagre, azeite e outros temperos.

Com o invento, as verdadeiras brigas para abrir os “saquinhos” ficaram no passado.

Inventor: Leopoldo Gonçalves Pinto de Aquino Almeida

Garrafa e método de construção civil utilizando garrafa – Patente BR 10 2013 023892 9 B1 / Ano 2016

Além de acondicionar líquidos, esta garrafa foi propositalmente desenvolvida para utilização na construção civil, na busca de tecnologias e alternativas sustentáveis.

O método proposto pelo arquiteto José Dibo permite que qualquer pessoa monte e construa uma casa com facilidade e com baixo custo.

Coração artificial eletromecânico – Patente PI 9900391-0 B1 / Ano 2009

Inventado por um engenheiro elétrico e outro mecânico, o coração artificial auxiliar bombeia o sangue em paralelo ao coração natural do paciente auxiliando a manter o débito cardíaco e as pressões sanguíneas.

Mais barato que modelos estrangeiros, ele tem a missão de salvar as vidas daqueles que estão na fila do transplante cardíaco.

Patente: Tampa abre-fácil – Nº. PI 9101018 / Ano 1995

Essa invenção transformou a indústria de alimentos, dispensando o auxílio de utensílios, como facas e abridores improvisados, que exigiam esforço e malabarismo para abrir vidros e latas.

Hoje é muito mais fácil abrir o requeijão, a geleia e todo tipo de conservas, com o sistema de fechamento a alto vácuo, sem machucar dedos e mãos.