março 31st, 2014

nwmidia

(0) Comentarios!

Microsoft e Dell acertam acordo para Android e Chrome

Dell pagará à gigante de software royalties nas vendas de dispositivos alimentados pelos sistemas do Google.

Reprodução/Dell.com

 Homem com Venue 8, novo tablet da Dell

Tablet da Dell: companhias vão licenciar entre si outras propriedades intelectuais relacionadas a aparelhos Android e Chrome, como os “Chromebooks”

San Francisco – A Microsoft e a Dell selaram um acordo de licenciamento de patentes em que a Dell pagará à gigante de software royalties nas vendas de dispositivos alimentados pelos sistemas Android e Chrome, da Google.

As duas companhias vão licenciar entre si outras propriedades intelectuais relacionadas a aparelhos Android e Chrome, como os “Chromebooks”, feito sob o sistema operacional do Google Chrome.

A Microsoft está envolvida em uma batalha com a Google para assegurar que os fabricantes de celulares com o sistema operacional Android paguem uma taxa à Microsoft. A maioria dos fabricantes como a Samsung, LG e HTC concorda em pagar royalties sobre os smartphones Android, sistema que a Microsoft acredita que infringe suas patentes.

Fonte: Exame Abril 

março 27th, 2014

nwmidia

(0) Comentarios!

Jovem inovador cria tênis que carrega celular com os passos

Estudante de 17 anos criou tênis que carregar a bateria de telefones celulares e alimenta com energia uma pequena lanterna

Pessoas esperando enquanto carregam o celular

Pessoas carregando celular: não seria preciso esperar no chão com um tênis que carrega a bateria

São Paulo – Um garoto indiano de 17 anos inventou um gadget bem útil. Rajesh Adhikari desenvolveu, dentro da própria casa, um tênis que é capaz de carregar a bateria de um telefone. Ele usa apenas a energia gerada pelos passos de quem usa o tênis.

A ideia de Adhikari veio de um problema corriqueiro em sua cidade, Nainital, no norte da Índia. Em períodos de nevascas, não é difícil que a cidade fique completamente sem energia elétrica. Para permitir que seus conterrâneos carreguem a bateria do celular, ele pensou no tênis. Ele é completamente à prova d’água, para não trazer problemas de curto circuito.

A tecnologia ainda é primitiva. A saída do fio fica na parte externa do tênis. Na demonstração neste vídeo, Adhikari usa um fio curto, o faz com que o celular precise ficar perto do tênis.

Ainda no vídeo, Adhikari mostra que também é possível usar o tênis para fazer funcionar uma pequena lanterna. Isso deve ser útil para os mesmos apagões que a cidade presencia.

Adhikari está ambicioso com o projeto. O próximo passo, segundo ele, é conseguir desenvolver uma forma de carregar o celular sem usar cabos. Assim, seria possível que a energia chegasse até o celular mesmo com ele dentro do bolso.

Fonte: Exame Abril

março 20th, 2014

nwmidia

(0) Comentarios!

Apple perde tentativa de banir smartphones da Samsung

O Galaxy S4, da Samsung

Smartphones da Samsung: Apple e a Samsung tem litigado por aproximadamente três anos sobre diversos recursos de smartphones patenteados pela Apple

San Francisco – Um juiz norte-americano rejeitou nesta quinta-feira o pedido da Apple para banimento permanente de vendas nos Estados Unidos de alguns smartphones antigos daSamsung, um importante revés para a fabricante de iPhone em sua batalha global de patentes.

A juíza distrital Lucy Koh de San Jose, Califórnia, decidiu que a Apple não apresentou provas suficientes de que seus recursos patenteados são um impulsionador significativo o suficiente da demanda do consumidor para justificar uma ação judicial.

A Apple e a Samsung tem litigado por aproximadamente três anos sobre diversos recursos de smartphones patenteados pela Apple, como o uso dos dedos para ampliar ou reduzir o zoom na tela, assim como elementos de design como a tela lisa e preta.

A Apple já recebeu uma indenização de mais de 900 milhões de dólares após decisões de juízes norte-americanos, mas não conseguiu sustentar um banimento permanente de vendas contra sua rival, uma ameaça muito maior para Samsung, que lucrou 7,7 bilhões de dólares no ano passado.

Fonte: Exame Abril 

março 14th, 2014

nwmidia

(0) Comentarios!

COMO SE PROTEGER DA PIRATARIA

Ninguém está livre de sofrer os efeitos da pirataria. São muitas as contravenções, da cópia barata de um produto vendido por camelôs até a embalagem imitada por um concorrente. Impedir esse tipo de crime é quase impossível. Mas agir contra o contraventor está ao alcance de todos. Conheça aqui os principais passos para se prevenir contra essa ameaça.

1. A primeira providência é registrar a marca, o software ou a embalagem e, se for o caso, entrar com o pedido de patente de uma inovação (ou de uma nova utilidade para um produto que já existe) no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). A regra internacional da propriedade industrial diz que, sem proteção a uma marca ou patente, o empresário não tem direito de alegar violação. “Um objeto que não está protegido é um objeto em domínio público”, diz Susana Maria Serrão Guimarães, coordenadora-geral de Indicações Geográficas e Registros do INPI.

2. Caso detecte que uma infração está sendo cometida, o empresário deve realizar uma investigação preliminar. Algumas perguntas precisam ser respondidas. Os produtos (o seu e o do concorrente) estão expostos lado a lado nas prateleiras? É possível que o consumidor confunda os dois por conta de características semelhantes? Os preços são diferentes a ponto de induzir o consumidor a levar o produto ilegal? “O que se deve ter em mente é a necessidade de ter uma prova, uma espécie de mensuração de prejuízos para o fabricante original”, diz José Henrique Werner, diretor da Associação Brasileira de Propriedade Intelectual (ABPI) e sócio do escritório Dannemann Siemsen.

3. Reunidas as provas, é hora de agir. A princípio, os especialistas recomendam tentar uma composição amigável, ou seja, notificar extrajudicialmente a suposta violadora, solicitando que retire aquele produto do mercado ou cesse a adoção daquela prática. É possível buscar uma compensação financeira pelo tempo em que um produto foi exposto à venda, comercializado e mantido em estoque, evitando um conflito judicial.

4. Se a aproximação não funcionar, a empresa pode entrar com uma ação de reparação de danos, a chamada ação indenizatória, com eventual pedido de liminar para apreensão da mercadoria — além de uma multa diária em caso de continuidade da violação. Se o caso for de infração de direito autoral, a empresa pode entrar com uma medida cautelar (para fins de vistoria de instalações e cessação da infração), além de ação indenizatória. No caso de software, o roteiro é o mesmo, mas com uma particularidade. O registro no Brasil é facultativo: na prática, um software já está protegido por lei no dia seguinte à sua publicação (lançamento oficial no mercado, demonstração em uma feira do setor etc.).

Fonte: Pequenas Empresas Grandes Negócios 

março 5th, 2014

nwmidia

(0) Comentarios!

Apple quer usar e-mail descartável para acabar com o spam

A Apple registrou uma patente que explica como é possível usar endereços temporários gerados automaticamente para evitar o spam.

inShare9

 Marcelo Calenda/EXAME.com

A nova cara do spam

 

A Apple registrou uma patente com uma ideia para combater o spam

São Paulo – O escritório de patentes dos Estados Unidos registrou uma nova patente em nome da Apple. Calma lá, ainda não é o tal iWatch ou a televisão da empresa. Mas é algo que pode ser tão bom quanto esses dois aparelhos: o fim do spam.

A patente tem registro sob o nome “Geração de endereços de e-mails descartáveis e mapeamento para uma conta de e-mail regular”. O nome é longo, mas a ideia, simples.

Ela toma como base uma técnica que muitos usuários já usam quando se registram para serviços online, o uso de uma conta secundária, descartável, de e-mail. Como a empresa afirma na patente, em algumas ocasiões isso gera problemas.

A patente da Apple então desenvolve uma maneira de tirar a responsabilidade disso das mãos do usuário. A proposta da empresa é que o próprio sistema de e-mail crie esses endereços de máscara temporários. Eles seriam associados automaticamente ao endereço principal.

O grande benefício do sistema proposto pela Apple é que caso haja comprometimento do endereço, o usuário não precise apagar sua conta. O endereço falso apenas deixaria de ser utilizado.

Rastreamento

tecnologia seria capaz também de rastrear e saber como um endereço de e-mail chegou às mãos de criminosos. O sistema seria capaz de inserir códigos que quando lidos mostrem que um determinado e-mail temporário foi fornecido a certo serviço online.

Isso tornaria simples a identificação de que o e-mail foi roubado ou usado pelo banco de dados daquele serviço.

ideia é boa. Mas, assim como qualquer registro de patentes, pode não dar em nada no final. Dependerá de investimentos da Apple para que isso chegue ao consumidor final.

Fonte:  Exame Abril