julho 31st, 2013

nwmidia

(0) Comentarios!

Grandes inventos que não renderam lucro

Como ganhar dinheiro com um invento? É o que muitos pensam ao ter uma grande ideia. Pois bem, para obtermos lucro com algum tipo de invento, existe um processo burocrático a ser seguido, o registro de patente, que garante a exclusividade da criação para que a mesma possa ser comercializada.
Porém, nem todos sabem disso. Acredite se quiser, mas grandes idealistas de coisas que todo mundo conhece, não seguiram essa parte burocrática e acabaram não ganhando nada com seus inventos. Listamos alguns deles, veja:

Harvey Ross Ball- criou o Smiley Face nos Estados Unidos no ano de 1963. Conhecido internacionalmente, o Smiley Face é um emoticon que traz uma carinha amarela sorrindo, criado para a campanha interna de uma empresa. Entre 1963 e 1971, cerca de 50 milhões de carinhas felizes foram enviadas aos mais diversos cantos o planeta. O emoticon levou cerca de 10 minutos para ser criado e rendeu apenas US$ 45 para Ball, que poderia ter ganhado muito mais dinheiro se tivesse registrado esse ícone como uma criação sua.

Alexey Pajitnov- menos de um mês foi o tempo que Alexey Pajitnov precisou para desenvolver, em 1984, um dos jogos mais famosos dos últimos tempos, o Tetris. Empregado na Academia de Ciência Russa durante a Guerra Fria, Pajitnov era responsável pelo desenvolvimento de pesquisas na área de inteligência artificial, o que permitia que ele criasse quebra-cabeças e jogos no trabalho.Pajitnov fez um acordo com seus superiores: eles ajudavam o cientista a publicar o jogo e o dinheiro ia para a empresa. Após 20 anos ele conseguiu o direito do jogo, que já teve 70 milhões de cópias e vários milhões de dólares após a criação.

Mikhail Kalashnikov- depois de se ferir durante um confronto da Segunda Guerra Mundial, em 1947, Mikhail Kalashnikov se viu obrigado a passar algum tempo no hospital. O soldado da então União Soviética aproveitou o tempo em repouso para projetar uma das melhores armas de combate já criadas, a AK-47. Com mais de 100 milhões de rifles circulando por aí, Kalashnikov deveria estar na lista dos homens mais ricos do mundo.Porém, tudo o que o soldado recebeu foi um bônus de agradecimento pelos serviços prestados. Cinquenta e dois anos depois, em 1999, a Izhevsk Machine Shop conseguiu patentear a arma. Mikhail deixou de ganhar centenas de bilhões com o seu projeto.

Daisuke Inoue- nos anos 70, no Japão, banda na qual Daisuke Inoue tocava permitia que outras pessoas pegassem o microfone e cantassem nas apresentações em bares pela cidade. Tudo para aliviar um pouco o stress depois de um dia de trabalho. Um dia, os integrantes do grupo não puderam comparecer a um show, então Inoue teve a ideia de pegar músicas pré-gravadas e tocá-las para que as pessoas acompanhassem. Surgiu o karaokê.Porém, o sucesso da ideia foi tão grande que Inoue e sua banda se esqueceram de patentear a invenção genial. Grandes empresas começaram então a fabricar máquinas de karaokê e vendê-las a bares e estabelecimentos voltados ao entretenimento. Como não havia registrado seu invento antes, Inoue não pode reclamar por direitos autorais.

Douglas Carl Engelbart- na década de 60 nos Estados Unidos, Engelbart sempre trabalhava com a interação entre o homem e computador, desenvolvendo interfaces e dispositivos que facilitassem o uso de máquinas.Carl e seu colega de trabalho Bill English criaram o mouse, um dos periféricos mais utilizados nos computadores atualmente. Engelbart nunca recebeu quaisquer royalties pela invenção do mouse, pois o seu pedido de patente da invenção expirou antes que o periférico começasse a ser utilizado em computadores pessoais.

Governo norte-americano- criado para uso militar, o GPS (sistema de posicionamento global) foi liberado para o uso civil apenas em1995. A partir daí, o número de aplicações e aparelhos que fazem uso do GPS cresceu exponencialmente, pois não é preciso pagar nada para utilizar o sinal transmitido pelos satélites.Mesmo tendo conhecimento de quem deu origem ao projeto, o sistema de GPS não possui nenhuma patente registrada. Dessa maneira, o governo não arrecada nada com a liberação do sinal para os civis.Esses exemplos fazem com que fique cada vez mais clara, a importância do registro de patentes. Apenas ter uma ideia revolucionária ou inventar algo que venha ser útil para muitas pessoas não é o suficiente. É extremamente importante que o registro aconteça para que, possivelmente, você venha lucrar com isso e obter exclusividade do seu invento. Registrar na Leal Marcas é muito fácil, clique aqui e faça seu invento render bons lucros.

Fonte: Tecmundo

 

julho 29th, 2013

nwmidia

(0) Comentarios!

Gradiente recusa acordo com Apple pelo nome iphone

(Foto: Reprodução/Portal Hashtag)

A briga entre Apple e Gradiente pelo direito de usar o nome iphone no Brasil não tem data para acabar, pois na sexta-feira, 26, a empresa brasileira informou ter recusado uma oferta da norte-americana para ficar com a marca.

A Gradiente pediu para ser dona do iphone em 2000 e conseguiu isso oito anos depois; já a Apple abriu requerimento só em 2007, quando lançou a primeira versão do smartphone iPhone. Em fevereiro deste ano, o INPI (Institudo Nacional de Propriedade Industrial) considerou que a Gradiente é quem responde pela marca, e então a Apple passou a contestar o órgão.

Em nota, a IGB Eletrônica, responsável pela Gradiente, disse que os advogados da Apple a procuraram para tentar um acordo, a fim de usar legalmente o nome iphone por aqui, mas ele foi negado.

“A companhia decidiu dar andamento no processo judicial por ela movido em São Paulo e contestar o processo que é movido contra o INPI (…) e contra a companhia na Justiça Federal do Rio de Janeiro”, diz o documento, divulgado pela Reuters.

A empresa também diz que “segue otimista, e no meio tempo será lançado um novo modelo de ‘iphone’ com a marca Gradiente”. Entretanto, o pedido da Gradiente de suspender imediatamente as vendas da Apple não foi deferido.

Fonte: Olhar Digital

julho 24th, 2013

nwmidia

(0) Comentarios!

Empresa de patentes Eolas perde disputa para Google e Amazon

 

Tablet Nexus 7 acessa o site japonês do Google em uma conferência de imprensa em Tóquio, no Japão

Tablet acessa o site do Google: com as patentes consideradas inválidas, a decisão original declarou que Google, Amazon e J.C. Penney não infringiram a lei

Washington – Um tribunal de apelações dos Estados Unidos emitiu nesta segunda-feira uma sentença a favor do Google, Amazon e J.C. Penney apoiando uma decisão judicial anterior que determinava que grandes porções de duas patentes reclamadas pela Eolas Technologies eram inválidas.

A corte em Washington apoiou seus comentários numa decisão judicial de um tribunal federal no Texas, que declarou inválidas as reclamações em cada uma das duas principais patentes da Eolas, baseadas no Texas.

A Eolas disse em sua reclamação em 2009 que suas patentes cobriam os principais aspectos da Internet, como páginas na web e conteúdo interativo.

Com as patentes consideradas inválidas, a decisão original declarou que Google, Amazon e J.C. Penney não infringiram a lei. Foi determinado que a Eolas pagasse os custos das empresas, disse a corte do Texas em julho de 2012.

A Eolas não respondeu os pedidos de comentários. O Google disse que estava “satisfeito com a decisão do tribunal”.

Outras companhias fizeram acordos anteriores com a Eolas, que ficou marcada por não produzir nada e arquivar muitos processos de patentes.

O site da Eolas disse que as companhias com as quais ela fez acordo incluem a Office Depot, Rent-A-Center, Texas Instruments, Playboy Enterprises International , New Frontier Media, JPMorgan Chase e Argosy Publishing.

Fonte: Exame Abril

julho 16th, 2013

nwmidia

(0) Comentarios!

Facebook analisa uso de marca 'Facelook' em barbearia de Dubai

Fachada de barbearia em Dubai; proprietário diz que cor e fonte são diferentes do Facebook.

 
O Facebook investiga nos Emirados Árabes Unidos o uso do nome “Facelook” (algo como “visual do rosto”) por uma barbearia de Dubai, que também usa na fachada a mesma identidade visual do site. Segundo o site local “The National”, o gigante da tecnologia estuda se o estabelecimento de Discovery Gardens infringe o direito de uso da marca.

“Somos cuidadosos com a proteção da marca Facebook e estamos analisando esse caso específico de perto”, afirmou um porta-voz da empresa para o Oriente Médio. O dono da barbearia, que não quis ter seu nome divulgado, disse à publicação que até agora não teve qualquer problema com o uso do nome “Facelook”, que ele registrou nos Emirados Árabes Unidos.

Segundo o proprietário, ele adotou a identidade visual da fachada após perceber que o nome da barbearia era parecido com o da rede social. “Parece [visualmente] familiar. Mas a cor e a fonte são diferentes daquelas do Facebook”, afirmou.

Fonte: UOL

julho 10th, 2013

nwmidia

(0) Comentarios!

Kit ajuda a identificar vítimas em acidentes

Grupo desenvolveu ferramenta para identificação genética humana específico para populações com alto grau de miscigenação.

Representação escrita de cadeias de DNA

 DNA: identificação genética de está baseada na combinação de diversos marcadores. No caso do Brasil, a população apresenta alta taxa de miscigenação, o que torna a caracterização mais difícil

São Paulo – Desastres naturais com grande número de mortos, acidentes aéreos ou ataques terroristas desafiam os profissionais de Medicina Forense. Esses e outros são exemplos em que a identificação rápida e correta das vítimas de acidentes é muito difícil.

Um grupo de pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Araraquara, desenvolveu uma tecnologia para identificação genética humana.

Com pedido de patente depositado pela Agência Unesp de Inovação (AUIN), o kit é específico para indivíduos pertencentes a populações com alto grau de miscigenação (alta variabilidade genética).

Segundo a AUIN, a identificação genética de um indivíduo está baseada na combinação de diversos marcadores que são herdados de seus progenitores. No caso do Brasil, a população apresenta alta taxa de miscigenação, o que torna sua caracterização genotípica ainda mais difícil.

A demora na identificação das vítimas é um importante problema de saúde pública, em consequência do grande número de casualidades. A identificação genética é fundamental não apenas para o reconhecimento das vítimas por seus familiares, mas também para investigações criminais e processos judiciais.

A tecnologia desenvolvida na Unesp apresenta alta sensibilidade, utilizando apenas 10 picogramas (trilionésimos de grama) de DNA, o que permite a identificação de amostras degradadas ou com pequena quantidade de material genético como, por exemplo, fragmentos de cabelo sem raiz ou amostras parcialmente carbonizadas. A tecnologia também apresenta alta especificidade visto que utiliza 42 marcadores para identificação enquanto testes similares utilizam apenas 16 marcadores.

O desempenho do kit foi validado em 160 amostras de sangue da população brasileira. O pedido de patente da tecnologia foi depositado pela Agência Unesp de Inovação (AUIN).

O desenvolvimento é resultado do trabalho dos pesquisadores Regina Maria Barretto Cicarelli, Greiciane Gaburro Paneto, Heidi Pfeiffer e Stephan Köhnemann.

Mais informações: http://unesp.technologypublisher.com/technology/10809 e auin@unesp.br.

Fonte: Exame Abril

julho 4th, 2013

nwmidia

(0) Comentarios!

Apple registra marca iWatch em mais 4 países

Os registros de patentes para o iWatch foram encontrados no México, Taiwan, Turquia e Colômbia, segundo informações do site 9to5Mac. 

Os rumores em torno do relógio da Apple ganharam força neste ano. Analistas acreditam que a empresa já deu início à produção do iWatch, que pode ser lançado no final de 2013.

São Paulo – A Apple expandiu o registro da marca “iWatch” para mais quatro países e aumentou os rumores em torno do lançamento de seu relógio inteligente.

Os registros de patentes para o iWatch foram encontrados no México, Taiwan, Turquia e Colômbia, segundo informações do site 9to5Mac.

Os registros enviados para o México, Taiwan e Colômbia citam diretamente a Apple como requerente do pedido. Já na Turquia a solicitação foi feita em nome de um advogado que já trabalhou com a Apple no passado.

Todos os pedidos foram registrados entre os dias 3 e 4 de junho deste ano.

Esses pedidos de registro de patente seguem a mesma solicitação protocolada pela Apple no Japão na última semana. Além disso, no começo de junho houve a informação de que a Rússia também registrou a marca iWatch.

Os rumores em torno do relógio da Apple ganharam força neste ano. Analistas acreditam que a empresa já deu início à produção do iWatch, que pode ser lançado no final de 2013.

Especialistas sugerem que o modelo deve trazer design semelhante ao de um relógio, feito com vidro curvo e construído sobre a mesma plataforma iOS do iPhone e iPad.

Mas uma coisa é certa, faz três anos que a Apple apresentou seu último produto revolucionário, o iPad, e seis anos que ela lançou o iPhone. Se Tim Cook e sua equipe quiserem manter o ritmo das inovações, talvez seja a melhor hora de mostrar mais um produto realmente novo.

 

Fonte: Exame Abril