maio 27th, 2013

nwmidia

(0) Comentarios!

Twitter propõe acordo na indústria para reduzir guerra de patentes

Empresas que assinarem acordo comprometem-se a usar suas patentes apenas para se defender de processos judiciais ou para ajudar outras companhias que estão sob ataque.

Com uma recém-premiada patente de ‘pull-to-refresh’ (“puxar para atualizar”, em tradução livre) na mão, o Twitter pode ganhar uma variedade de taxas de licenciamento para o altamente popular gesto de toque.

Mas em vez de deixar que os processos corram, o Twitter prometeu usar a patente apenas para fins defensivos legais, como parte de seu Innovators Patent Agreement (“Acordo Inovador de Patentes”, em tradução livre). Fabricantes de smartphones e desenvolvedores de aplicativos podem respirar aliviados – a menos que os próprios estejam abrindo ações judiciais.

O Innovators Patent Agreement (ou IPA) é a tentativa do Twitter de reduzir o número de processos de patentes na indústria de tecnologia. Empresas que utilizam o IPA estão, essencialmente, comprometendo-se a usar suas patentes apenas para se defender de processos judiciais ou para ajudar outras empresas que estão sob ataque.

O acordo é escrito na própria patente, por isso ainda se aplica mesmo que ela seja adquirida por outra empresa. A única maneira de arquivar um processo ofensivo de patente sob o IPA é com a permissão do inventor ou engenheiro original.

Como essa patente funciona

O Twitter anunciou o IPA pela primeira vez mais de um ano atrás, mas a pull-to-refresh é a primeira patente a participar. É um gesto importante, usado em aplicativos móveis da Apple, Google, Facebook, Foursquare, ESPN, entre outros. O gesto, inventado pelo designer Loren Brichter, permite aos usuários ver novas informações simplesmente arrastando para baixo na tela a partir do topo de uma linha do tempo.

É sempre bom ver uma empresa de tecnologia prometer não lutar no tribunal, mas o IPA parece um tanto ingênuo. Até agora, apenas duas startups, Jelly e Lift, se comprometeram a adotar o acordo em suas próprias patentes. É improvável que titãs da tecnologia, como Apple, Google, Microsoft e Samsung assinem, já que continuam brigando por patentes entre si.

Isso não quer dizer que o Twitter não tem algumas palavras bem escolhidas para as empresas que não estão interessados no IPA. Está no FAQ da empresa sobre o acordo:

“Se o IPA pode ser bom para a sua organização depende de uma série de fatores, incluindo se o seu modelo de negócio é baseado na geração de receitas provenientes das taxas de licenciamento de patentes ou se é baseado em competir por inovar e oferecer o melhor produto ou serviço.”

TechHive

Fonte: IDGNOW!

maio 21st, 2013

nwmidia

(0) Comentarios!

Apple acusa Galaxy S 4, da Samsung, de infringir patentes

A Apple revelou que incluirá o smartphone Galaxy S 4 na disputada judicial por infração de patentes que trava com a Samsung, informa o site de tecnologia “The Verge”.

Em declaração entregue em um tribunal da Califórnia, na segunda-feira (13), a empresa de Tim Cook afirma que analisou o Galaxy S 4 após seu lançamento e concluiu que, assim como outros 21 produtos que constam na lista do processo, o novo smartphone Samsung usa indevidamente tecnologias patenteadas.

Para incluir o S 4, contudo, a Apple irá retirar algum outro aparelho da lista que já contempla, entre outros, o Galaxy Ace, Galaxy S, Galaxy S II, Galaxy Tab e Nexus S. Isso porque a juíza Lucy Koh, que cuida do processo, havia determinado um número limite de gadgets denunciados no processo,

APPLE VS SAMSUNG

A atitude da Apple é mais um episódio de uma longa batalha judicial marcada por decisões contraditórias e vitórias para os dois lados.

Em agosto de 2012, após uma troca de denúncias de infração de patentes em que praticamente todos os principais produtos das duas companhias foram envolvidos, um tribunal americano condenou a Samsung a ressarcir a Apple em mais de US$ 1 bilhão.

A empresa americana ainda tentou impedir a venda de alguns aparelhos da concorrente nos Estados Unidos e pediu um aumento da multa para U$ 3 bilhões, mas viu seus dois pedidos negados e a multa reduzida para U$ 450 milhões.

Com contestações dos valores pela Samsung e a impossibilidade de um acordo entre as partes, decidiu-se pelo adiamento do julgamento para março de 2014.

Fonte: Notícias Uol

maio 15th, 2013

nwmidia

(0) Comentarios!

Da Bina ao iphone: relembre polêmicas patentes brasileiras

Lei de propriedade intelectual completa 17 anos no país. Confira alguns casos curiosos.

Propriedade intelectual
Há 17 anos o Brasil promulgou a lei de propriedade intelectual, que oferece aos criadores, inventores e detentores de marcas a propriedade sobre seus projetos e, consequentemente, o direito de uso exclusivo sobre eles.

A lei impulsiona a área de inovação local e é considerada um dos alicerces para a consolidação de uma economia sólida e competitiva. “O tema deveria ser questão de soberania nacional. Temos de aprender a transformar conhecimento em inovação, tecnologia em competitividade”, comenta a advogada especialista Maria Isabel Montañes. 

No entanto, apesar de a regulamentação ter ajudado a área de inovação do país, ela também gerou disputas nada amigáveis nos últimos anos. Talvez o caso mais famoso seja o do criador da ‘Bina’. O mineiro Nélio José Nicolai alega ter desenvolvido o sistema de identificação de chamadas há 32 anos, mas nunca recebeu os devidos royalties – dinheiro que se paga ao autor de um invento pelo direito de explorá-lo economicamente.

Reprodução

Nos últimos dez anos, Nicolai vendeu carros e casa para pagar os processos movidos contras as empresas de telefonia, e mesmo tendo chegado perto de uma vitória – em que teria sua patente  reconhecida judicialmente -, viu a quantia bilionária de indenização escapar mais uma vez de suas mãos.

Em setembro do ano passado, a justiça concedeu liminar que obrigava as empresas que usam a Bina a pagar porcentagem do valor cobrado pelo serviço ao inventor. Mas, em 24 horas, a Vivo – primeira companhia julgada pelo caso – entrou com recurso que invalidou a decisão. Até o julgamento do caso, a operadora está livre do pagamento previamente estabelecido. O processo, que também se estende a Sercomtel, a CTBC Telecom S.A, a Global Telecom S.A e a Norte Brasil Telecom S.A, ainda está em andamento.

Reprodução
Ao contrário de Nélio, o analista de suporte Israel Dias viu suas ‘latinhas falantes’ terem um final feliz (veja o vídeo aqui). A ideia do inventor havia sido roubada por um publicitário, que acabou vendendo-a à Skol, mas a marca de cerveja não correu atrás do registro e Dias pôde recuperar sua criação. O produto que virou febre na Copa do Mundo de 2010 foi protegido pela lei, que admite como dono dapatente aquele que a registra primeiro.

Por fim, o caso polêmico mais recente envolve a fabricante brasileira Gradiente e uma das empresas americanas mais poderosas do mundo, a Apple. A marca ‘Iphone’ vem sendo disputada no Brasil desde dezembro do ano passado, quando a Gradiente confirmou deter o direito de uso comercial. O lançamento de um smartphone com o mesmo nome do produto da Apple, em janeiro, fez a empresa americana buscar acordo para seguir usando a marca no país. As negociações ainda estão em andamento.

maio 13th, 2013

nwmidia

(0) Comentarios!

Jovens brasileiros criam 11 patentes 'ecológicas' em corrida da inovação

Filtro de água para praias que brilha à noite é uma das patentes. Projetos foram desenvolvidos em 72 horas por estudantes brasileiros.

Estudantes desenvolveram filtro de água que pode ser instalado em parques, calçadas e orla para oferecer água potável aos cidadãos (Foto: Ricardo Barreto/Divulgação)

Projeção de um filtro de água que pode ser instalado em parques, calçadas e orla para oferecer água potável e ainda ilumina à noite (Foto: Ricardo Barreto/Divulgação)
A Innovation Race, uma corrida pela inovação para o desenvolvimento sustentável realizada no Planetário do Rio, terminou na tarde desta sexta-feira (1º) com vinte projetos de produtos para melhorar a vida das pessoas. Destes, 11 projetos desenvolvidos por 12 estudantes de mestrado e doutorado de quatro grandes universidades (Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Federal Fluminense, Universidade Federal do ABC e PUC-Rio) vão ser patenteados.

A corrida da inovação faz parte da “Semana da Inovação Brasil-Suécia: Inovação para o Desenvolvimento Sustentável”, promovida pelo governo da Suécia. O evento começou na segunda-feira (28) e foi até a sexta (1º), quando os produtos foram apresentados pelos estudantes. Em apenas 72 horas, os estudantes desenvolveram soluções tecnológicas e inovadoras para problemas do dia a dia das grandes cidades.

Entre os produtos que podem ser desenvolvidos comercialmentes estão uma ducha que usa bomba de calor, teste para a potabilidade de água nas residências e um filtro de água que pode ser instalado na orla de praias como Ipanema para oferecer água potável aos cidadãos. O filtro ainda é equipado com uma placa fotovoltaica que se ilumina à noite sem qualquer uso de eletricidade.

A OS PRODUTOS CRIADOS NA INNOVATION RACE QUE VÃO VIRAR PATENTES

Reducha – um novo conceito para aquecimento de água em chuveiros utiliza a bomba de calor, que transporta a energia disponível no ambiente para o banho e reduz o consumo de energia em até 80%.

Calor Verde – kit para reciclagem de calor. Aproveita a energia dispensada de sistema de refrigeração de casas e transforma esta energia em calor para aquecer a água do banho, por meio de um conjunto de tanques termicamente isolados. O calor pode ser armazenado e utilizado no momento mais conveniente.

Evergreen – sistema de drenagem feito com placas modulares de resinas poliméricas que, fixadas ao chão, são capazes de absorver até 50% mais água. É uma excelente solução para evitar enchentes.

Twin bags – sacos plásticos multipartidos e destacáveis que facilitam a separação do lixo orgânico dos materiais recicláveis. Assim, em uma única lixeira é possível ter dois compartimentos separados, identificados por cores diferentes, auxiliando a identificação para o sistema de coleta pública.

Vertical Innovative pumping system (VIP) – sistema que permite que fluidos sejam elevados pelo fenômeno da capilaridade, sem haver a necessidade de bombeamento – é capaz de bombear a água da chuva que escoou sobre o solo e armazená-la em reservatórios suspensos acoplados ao sistema.

Adulteste – teste simples e rápido que avalia qualitativamente a gasolina e o percentual de álcool presente que servirá como indicador de adulteração de combustível.

Ecoflush – mecanismo híbrido que combina a descarga convencional com a neutralização química. Elimina resíduos líquidos com uma mistura de espuma e neutralizantes que apresentam o mesmo efeito que a descarga comum, de forma econômica e sustentável.

Rio fonte de vida – filtro de água que pode ser instalado em parques, calçadas e orla para oferecer água potável aos cidadãos. O filtro ainda é equipado com uma placa fotovoltaica que se ilumina à noite sem qualquer uso de eletricidade (design vira patente).

Hot cool – Sistema de refrigeração através de reações químicas, que absorvem calor do meio ambiente a um baixo custo.

B.O.A.T. – teste simples e rápido para pessoas leigas avaliarem a potabilidade da água em suas próprias casas. Esta inovação gera duas patentes: teste de água e a embalagem.

Com ajuda de representantes do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), os projetos serão patenteados e poderão no futuro se tornar produtos comercializados. Os projetos começaram a ser pensados na tarde de segunda-feira e, em 72 horas, foram desenvolvidos, analisados e projetados.

Ducha com bomba de calor e kit para reciclagem de calor (Foto: Ricardo Barreto/Divulgação)

Ducha com bomba de calor e kit para reciclagem de calor (Foto: Ricardo Barreto/Divulgação)
Com o apoio de um coordenador e um designer, e um “back office” formado por pesquisadores, advogados de patentes, analistas de mercado, economistas e criadores de protótipos, os grupos apresentaram na sexta-feira os resultados desta corrida contra o tempo.

Uma das principais características desta corrida é que cada um dos participantes tem uma formação acadêmica diferente dos demais. Entre os competidores estão jornalista, engenheira de produção, engenheira química, biomédica, publicitária, microbiologista, químico e administrador de empresas, entre outros.

BASE DO FUTEBOL

Esta é a 36ª edição da Innovation Race. A corrida foi criada pelo professor sueco Kaj Mickos, que defende a ideia de se democratizar o processo de inovação. Segundo ele, é preciso reunir uma filosofia capaz de entender que são as pessoas, e não a tecnologia, que produzem inovação.

Participantes da corrida da inovação comemoram o fim do período de 72 horas de criação (Foto: Ricardo Barreto/Divulgação)

Participantes da corrida da inovação comemoram o fim do período de 72 horas de criação (Foto: Ricardo Barreto/Divulgação)

“Reunimos estudantes que não se conheciam e não tinham nenhuma ideia preparada para em um tempo recorde desenvolver soluções para problemas da cidade”, destaca. “Isso mostra que é possível sim fazer inovação. E isso vale para qualquer pessoa, jovem, velho, com ou sem curso superior.” Para isso, é preciso contar com investimento, reunir especialistas em diversas áreas e um líder que não tenha apenas o “know how” (como fazer), mas o “know who” (detectar quem pode fazer o quê).

Mickos faz uma comparação com o futebol. Ele explica que no futebol existe uma pirâmide na qual a base é formada por jogadores desconhecidos, times pequenos, estádios, campeonatos, transmissões esportivas. E no topo da pirâmide está um grupo seleto dos grandes astros, como Neymar, Ronaldo, Pelé, Romário. “Quando se fala em inovação, só querem saber desta elite de craques, mas o que realmente sustenta e importa é toda a base, os pequenos projetos e conhecimento desenvolvido”, afirma o sueco. “É impossível saber no início se um projeto vai virar um produto comercialmente sustentável, mas é preciso desenvolver processos para fazer aparecer estes craques.”

O professor vê o Brasil com grande potencial para desenvolver soluções inovadoras. “É um país com tantas pessoas diferentes, uma energia muito grande, precisa saber canalizar esta criatividade.”

Fonte: G1

maio 8th, 2013

nwmidia

(0) Comentarios!

Vem aí o iWatch? Nova patente da Apple dá pistas!

Por Joel Nascimento Jr,

patente-iwatch-01

Foram descobertos alguns registros de patente da Apple que atiçam o mundo dos rumores e nossa imaginação quanto a um possível relógio ou pulseira, já informalmente batizado de iWatch, com características bem peculiares. Não é de hoje que se fala em um relógio inteligente com a marca da maçã.

O dispositivo, descrito como um “acessório vestível”, se encaixa perfeitamente com todos os rumores. Na descrição, ainda mais detalhes: a forma de se encaixar lembra aquelas pulseiras que se fecham em volta do pulso quando você bate contra o corpo. A tecnologia por trás disto seria uma espécie de display flexível, que se moldaria em volta dessa parte do braço do usuário.

Segundo o Apple Insider, quando ativado, o dispositivo passaria a se conectar por tecnologias sem fio, como o Wi-Fi e o Bluetooth, para exibir notícias relevantes em tempo real. Bacana, né? Calma que melhora.

patente-iwatch-02

Como retorno das informações exibidas, o dispositivo poderia até mesmo comandar funções, como ajustar uma playlist, checar relação de chamadas ou responder uma mensagem de texto, uma vez que a tela seria sensível a toque, podendo ativar um teclado.

Com base nestas patentes, dá pra especular que um iWatch não poderia funcionar sozinho. Seria uma espécie de assistente do iPhone, ou talvez até mesmo do iPad. Sob a ótica de um gadget, seria uma peça única de tecnologia. Display flexível, touchscreen… Imagine quantas possibilidades surgiriam com isto: fazer um check in no Foursquare sem precisar sacar o celular ou usar o PassBook para entrar numa balada com sua iPulseirinha.

Voltando do mundo dos sonhos, nunca é demais lembrar que todas estas informações residem em patentes, que podem ser usadas agora, num futuro indeterminado ou até mesmo nunca.

Fonte: Tecnoblog

maio 6th, 2013

nwmidia

(0) Comentarios!

e-Patente supera a marca de 100 solicitações em 40 dias de funcionamento

Lançado há 40 dias, o sistema eletrônico de patentes pela Internet superou a marca de 100 pedidos no dia 2 de maio. Os atuais 101 pedidos contribuíram para facilitar a vida dos usuários e evitar a impressão de 3.237 folhas de papel.

Entre os inventores que aderiram ao novo sistema do INPI, 71% são brasileiros. Destes, 44% são de São Paulo; 14%, do Rio Grande do Sul; 11%, do Paraná; 10%, de Minas Gerais; 7% de Santa Catarina; 4% do Rio de Janeiro e o restante dos demais estados.

Fonte: Portal INPI

maio 2nd, 2013

nwmidia

(0) Comentarios!

Juíza define novas datas de julgamento de patente com Apple e Samsung

O novo julgamento pelos danos deve ocorrer entre os dias 12 e 18 de novembro.

Uma juíza federal estabeleceu novas datas de julgamento em novembro para decidir se a indenização de US$ 450,5 milhões atribuída a Apple deve ser mantida, em uma disputa de patentes com a Samsung, de acordo com documentos do processo.

Em março, a Apple teve um enorme revés em sua contínua batalha de patentes móveis com a Samsung, quando a juíza Lucy Koh reduziu a indenização determinada pelo júri, de US$ 1,05 bilhão, em mais de 40%, e definir um novo julgamento para determinar os danos. Lucy determinou, na segunda-feira, que o novo julgamento pelos danos deve ocorrer entre os dias 12 e 18 de novembro.

O tribunal não permitirá que a Apple e a Samsung ampliem o escopo do julgamento de danos, baseando-se em novos dados de vendas, novos produtos e novas metodologias ou teorias, informou a ordem judicial.

A juíza havia dito anteriormente que o júri tinha calculado incorretamente parte dos prejuízos, e que era necessário um novo julgamento para determinar o valor atual e final do dólar.

Rejeitando uma moção da Apple para aumentar a indenização do júri pelos danos, Lucy ordenou um novo julgamento para 14 dispositivos, que incluem o Galaxy SII, da Samsung. A decisão do júri para a Apple para outros 14 produtos, totalizando quase US$ 599 milhões, foi mantida.

O tribunal também restabeleceu a decisão do júri de pagamento de US$ 40,5 milhões a Apple relativa ao telefone Galaxy SII AT&T, da Samsung, que não será incluído no novo julgamento por perdas e danos.

Fonte: Terra