outubro 28th, 2011

nwmidia

(0) Comentarios!

Nexus foi criado para driblar patentes da Apple, diz Samsung

Modelo tem câmera frontal de 1,3 megapixel e traseira de 5 megapixel com lag zero – sem espera para clicar

O novo smartphone da Samsung, anunciado na quarta-feira dia 19/10 em Hong Kong, foi produzido para evitar possíveis ataques legais da Apple quanto a patentes. Segundo o presidente de mobile da Samsung, que vem enfrentado a Apple nos tribunais de todo o mundo por acusações que quebra de patentes, Shin Jong-kyun, disse na terça-feira que a companhia tentou não incluir nenhuma patente conhecida pela Apple no Nexus Prime, aparelho que roda a mais nova versão do Android, Ice Cream Sandwich. As informações são da agência de notícias sul-coreana Yonhap.

“Agora vamos evitar o que pudermos e levar as patentes muito a sério. Vamos ver se (o Nexus Prime) estará 100% livre”, disse o executivo. “Eu não acho que há muitas vitórias (de ações judiciais contra a Apple). O que estamos perdendo é o orgulho da nossa marca”, afirmou. A Apple conseguiu proibir a venda do tablet da Samsung na Alemanha e na Austrália afirmando que o aparelho copia o iPad. A disputa entre as duas empresas envolvem 30 casos em 10 países na Europa e na Ásia, além dos Estados Unidos. A Samsung também entrou na Justiça pedindo a proibição do iPhone 4S em países como França, Itália, Japão e Austrália.

O Nexus Prime, anunciado na quarta-feira dia 19/10 pela sul-coreana em parceria com o Google, será lançado mundialmente em novembro. O aparelho roda a última versão do Android, sistema operacional da gigante das buscas que vai integraar tablets e smartphones. O dispositivo tem tela de 4,65 polegadas (HD Super Amoled, com resolução de 720p), processador de 1,2 GHz (como o Galaxy S II), 16 GB ou 32 GB de armazenamento, 1 GB de RAM, câmera traseira de 5 megapixels com “zero lag” de disparo (=sem espera para clicar) e câmera frontal de 1,3 megapixel, conectividade celular HSPA+/EDGE/GPRS (uma versão LTE também irá para “mercados selecionados”) e NFC.

Fonte: http://tecnologia.terra.com.br/



outubro 21st, 2011

nwmidia

(0) Comentarios!

Patentes estranhas e engraçadas

Nem todas as invenções realmente têm alguma utilidade, muitas acabam sequer sendo lembradas, é o caso de algumas abaixo, confira!

1. Guia-cobra

Assim como o cachorro, o inventor deste objeto acreditava que as serpentes, criadas dentro de casa como animais de estimação, também iriam querer respirar ar fresco de vez em quando. Ele inventou uma espécie de corda, com regulagem, para que o dono possa controlar seu “bichinho” enquanto passeia. É claro que este objeto ainda procura por mercado.

2. Amigo Imaginário

O inventor deste objeto pensou que quando um motorista fosse perseguido por assaltantes, ele ou ela poderia fazer uma ligação no telefone falso ligado ao amigo. Em seguida, os ladrões estariam com medo e desistiriam. Não é amplamente utilizado, você sabe o porquê.

3. Escudo para beijo

É uma membrana fina de látex que pode ser usada por pessoas que não podem esperar para beijar a pessoa. Em uma ocasião, o inventor afirmou que é recomendável para os políticos que beijam bebês. Felizmente, ninguém usa esta patente.

4. Campainha do cérebro

A campainha do cérebro é uma máquina que quando você morde envia vibrações ao cérebro, mantendo-o acordado. Então, se você tiver uma aula de matemática pela manhã, alguma reunião chata com o seu chefe ou algo assim, tente encontrar este estranho aparelho.

5. Abrigo nuclear

É completamente desnecessário hoje, mas em 1986, quando foi patenteado, a Guerra Fria estava ocupando o cenário político do mundo. Com a possibilidade de uma guerra nuclear, um abrigo era bem necessário. Os proprietários dos abrigos nucleares portáteis só precisavam cavar um buraco no chão e erguer o abrigo, então, a radiação não podia fazer nada para eles.

6. Banheira com peixes

Agora os amantes de peixe pode banhar-se com seus animais de estimação. A banheira é composta por uma parte em que os peixes e outras criaturas do mar nadam, para que você possa desfrutar da vista do mundo subaquático, enquanto você toma seu banho. Tem o sistema de purificação de água e outras coisas que tornam a vida dos peixes melhor.

7. Relógio da expectativa de vida

Isto é tão estranho que não é surpresa que ninguém o use. O relógio “A expectativa de vida” pode lhe mostrar quanto tempo resta até que você morra. Ela conta o tempo de acordo com as metodologias que seguradoras usam para grupos específicos de pessoas. Além disso, você pode definir um alarme para lembrá-lo do tempo que resta para você em determinadas ocasiões.

8. Cama para furacão

A cama do furacão é tão fortemente aparafusada ao chão de tal forma que nunca possa ser separada dele. Se você não quer voar sem a cama, há um espaço que se parece com uma lata de sardinhas debaixo da cama, onde você pode aguardar com calma e esperar o furacão parar.

9. Guarda-Chuva para cachorro

A maioria dos cães não se importa de andar na chuva, mas para os proprietários que se preocupam, talvez demais com os seus animais, a invenção de 1992 passou a ser revolucionária . O animal inteiro é coberto, enquanto que há uns furos na frente para evitar embaçamento e perder de vista.

10. Garfo com alarme

O garfo de alarme é um dispositivo que faz você comer o alimento, não apenas inalá-lo. Quando ele mostra a luz verde, então você pode dar sua próxima mordida. Se houver a luz vermelha, então você não deve sequer pensar em continuar comendo.

Fonte: http://minilua.com/



outubro 14th, 2011

nwmidia

(0) Comentarios!

CNI participa de encontro sobre patentes e inovação na Câmara dos Deputados

Na quarta-feira, dia 05 de outubro de 2011, a Câmara dos Deputados sediou o encontro O olhar do setor produtivo, o primeiro do ciclo de debates A Legislação de Patentes e o Futuro da Inovação Tecnológica no Brasil. O evento contou com representantes da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (ANPEI), Petrobras e das empresas Whirlpool e Semeato, e foi moderado pelo deputado federal Newton Lima (PT-SP).
Paulo Mol Júnior, gerente de executivo de estudos e políticas industriais da CNI, ressaltou o caráter estratégico da propriedade intelectual, na medida que protege a inovação e a torna comercializável. “O Brasil ainda está fora do mapa mundial da propriedade intelectual. Precisa proteger e explorar comercialmente os direitos sobre o seu conhecimento”. Paulo também enfatizou a necessidade de fortalecer e potencializar o trabalho do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), para diminuir o tempo de concessão das patentes de outros registros de proteção.
Os representantes da iniciativa privada destacaram o aumento dos seus investimentos em inovação e o desafio de aliar tecnologia e ecossustentabilidade. Guilherme Estrella, diretor de exploração e produção da Petrobras, falou sobre a extração dos recursos do Pré-Sal. Já o diretor executivo da Anpei Naldo Dantas destacou a propriedade intelectual como uma vantagem competitiva: “ A inovação em todos os segmentos da indústria é fundamental pra que a economia brasileira suba como um todo, e protegê-la é fundamental para possibilitar negócios”. Naldo também falou sobre a necessidade de difundir a inovação gerada pelas universidades, defendendo que “O melhor resultado não é quem mais patenteia, e sim quem mais transfere tecnologia para as empresas”
As outras três mesas do ciclo de debates A Legislação de Patentes e o Futuro da Inovação Tecnológica no Brasil vão reunir representantes dos produtores e instituições de pesquisa e desenvolvimento, do meio jurídico e de órgão reguladores. Confira a programação completa do evento e a cobertas dos próximos encontros no site da Câmara dos Deputados.
Fonte: www.propintelectual.com.br

Na quarta-feira, dia 05 de outubro de 2011, a Câmara dos Deputados sediou o encontro O olhar do setor produtivo, o primeiro do ciclo de debates A Legislação de Patentes e o Futuro da Inovação Tecnológica no Brasil. O evento contou com representantes da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (ANPEI), Petrobras e das empresas Whirlpool e Semeato, e foi moderado pelo deputado federal Newton Lima (PT-SP).

Paulo Mol Júnior, gerente de executivo de estudos e políticas industriais da CNI, ressaltou o caráter estratégico da propriedade intelectual, na medida que protege a inovação e a torna comercializável. “O Brasil ainda está fora do mapa mundial da propriedade intelectual. Precisa proteger e explorar comercialmente os direitos sobre o seu conhecimento”. Paulo também enfatizou a necessidade de fortalecer e potencializar o trabalho do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), para diminuir o tempo de concessão das patentes de outros registros de proteção.

Os representantes da iniciativa privada destacaram o aumento dos seus investimentos em inovação e o desafio de aliar tecnologia e ecossustentabilidade. Guilherme Estrella, diretor de exploração e produção da Petrobras, falou sobre a extração dos recursos do Pré-Sal. Já o diretor executivo da Anpei Naldo Dantas destacou a propriedade intelectual como uma vantagem competitiva: “ A inovação em todos os segmentos da indústria é fundamental pra que a economia brasileira suba como um todo, e protegê-la é fundamental para possibilitar negócios”. Naldo também falou sobre a necessidade de difundir a inovação gerada pelas universidades, defendendo que “O melhor resultado não é quem mais patenteia, e sim quem mais transfere tecnologia para as empresas”

As outras três mesas do ciclo de debates A Legislação de Patentes e o Futuro da Inovação Tecnológica no Brasil vão reunir representantes dos produtores e instituições de pesquisa e desenvolvimento, do meio jurídico e de órgão reguladores. Confira a programação completa do evento e a cobertas dos próximos encontros no site da Câmara dos Deputados.

Fonte: www.propintelectual.com.br

outubro 7th, 2011

nwmidia

(0) Comentarios!

Como saber se uma patente estrangeira é válida no Brasil?

Todo país é soberano em suas resoluções. Quando um país concede uma patente, ela só é válida dentro de suas fronteiras. Para que a patente seja válida em outro país, o inventor deve entrar com um pedido de patente nessa outra nação.

De acordo com a Convenção da União de Paris (CUP), da qual o Brasil é signatário, o depositante tem o prazo de um ano, a contar da data do depósito no país original, para replicar o mesmo pedido de patente nos países onde haja interesse. Expirado esse prazo, não há maneira legal de proteger o objeto de uma invenção.

Sendo assim, mesmo que não haja patente de alguma matéria de seu interesse no Brasil, mas tal matéria já esteja acessível ao público como patente em outro país, não há a possibilidade de essa mesma matéria ser protegida novamente.

Cabe ainda ressaltar dois pontos:

1. Quando falamos “país”, estamos nos referindo àqueles signatários da CUP, que são quase todos os países reconhecidos pela Organização das Nações Unidas.

2. Quanto a patentear a ideia, cabe informar que ideias não são patenteáveis. O que é passível de ser patenteado é a concretização de uma ideia.

Fonte: http://revistapegn.globo.com